Para mim... o que é hospitalidade?

Para mim... o que é hospitalidade?
Crónica sobre Hospitalidade

Por vezes surgem-nos perguntas de difícil resposta.

Termos que usamos, mas que nem sempre damos a devida atenção e reflexão.

A Hospitalidade, mesmo para um hospitaleiro, pode ser um desses termos. Qual o seu significado? O que é?
Refletindo já nos soa como aquela eterna pergunta: «o que é o Amor?». E, a resposta mais assertiva será, «não se define. Sente-se. Vive-se».

Com a Hospitalidade acontece o mesmo. É um outro nome do Amor. Sendo um dom de Deus, é um carisma de serviço ao Outro, e neste Outro ter a ocasião de encontrar o próprio Deus.

É um Amor oblativo. É aceitar o Outro com tudo o que tem, com tudo o que é, e por mais estranho e diferente que nos seja. Acolhê-lo, aceitá-lo, cuidá-lo, respeitá-lo, Amá-lo como irmão nosso que é. É a empatia no seu expoente máximo.

É ser capaz de ver a pessoa, com a sua dignidade indiscutível e inalterável, e não ver a doença, isto porque aquele que temos ao lado, ou à frente, não é um doente. É uma pessoa!

A Hospitalidade é estar com este Outro, e sentir dentro de nós que estar com ele vale mais do que o mundo inteiro. Mas, estar no verdadeiro sentido. Estar e ouvir, tocar, conhecer os seus problemas, expectativas, dificuldades, a sua história!

E nessa altura, no silêncio do nosso íntimo calar e sorrir. Porque aí compreendemos verdadeiramente o que é a Hospitalidade.

Que não é um conceito. Mas sim, um sem número de rostos. Um sem número de vozes. Um sem número de corpos e almas.

A Hospitalidade sente-se.  A Hospitalidade vive-se!

 

Por David Barbas

Segunda, 6 de Janeiro de 2020