Mariana Silva

“A terapia dos Afectos”

Crónica de Outubro de 2022

O quotidiano leva cada um de nós a adotar uma velocidade megalómana entre obrigações, cobranças externas e auto-impostas para sermos mais e melhor, para termos mais e melhor.
Esta rotina alucinada deixa-nos exaustos, impacientes, sem capacidade de olhar com amor.
Nesses momentos de conflito interno penso em tempos mais felizes. Ou seja, viajo novamente aos anos que passei em atividade nas nossas casas, onde o tempo parecia infinito e os afetos tornavam-se prioridade.
Nestas casas onde o sol existe sempre, mesmo durante o maior temporal, vivem os maiores sábios do amor.
Lá, aprendi que o toque e o abraço curam as maiores feridas da alma, que o maior tesouro da vida surge na partilha de experiências e que vivemos todos com as prioridades trocadas até ser tarde demais.
Nestes lugares de encanto, aprendemos a fazer como o principezinho que amou a rosa e cativou a esguia raposa.
E somos constantemente lembrados da importância de olhar para o essencial da vida: O AMOR.

Mariana Silva. Nasceu em Dornelas, concelho de Amares, em 1992.
É assistente social e mediadora familiar de profissão, com especialização na área da promoção e proteção de crianças e jovens. Trabalha com famílias multi-problemáticas e violência doméstica, no âmbito da CPCJ de Amares.
Desde sempre gostou muito de voluntariado: fez atividade voluntária na APAV, Cruz Vermelha, enquanto socorrista, mas foi na JH que descobriu um sentido diferente para se poder doar aos outros. É também catequista e ministra extraordinária da comunhão.